Sistema de irrigação Rain Bird se destaca pela eficiência, tecnologia e sustentabilidade

Compartilhe

Líder mundial na fabricação e no fornecimento de produtos e serviços para o segmento de paisagismo em áreas comerciais e residenciais, a empresa tem a Loja da Irrigação como distribuidora em Santa Catarina

Fotos: Daniel Zimmermann

Espaços verdes estão cada vez mais valorizados em condomínios. Os jardins e o paisagismo são responsáveis por embelezar o empreendimento, mas também por proporcionar maior bem-estar e qualidade de vida aos moradores. Para executar projetos paisagísticos em condomínios, especialmente os verticais, é preciso estar atento a questões importantes como o sistema de irrigação. A Rain Bird, líder mundial na fabricação e no fornecimento de produtos e serviços de irrigação, oferece uma ampla linha voltada para o segmento de paisagismo em áreas comerciais e residenciais. Em Santa Catarina, a empresa norte-americana é representada pela Loja da Irrigação, que conta com revendas especializadas na implementação dos sistemas e na manutenção.

Foto: Daniel Zimmermann

Fundada em 1933, a Rain Bird fez história e revolucionou a indústria mundial da produção agrícola ao patentear o primeiro aspersor de impacto da história da irrigação pressurizada, no ano de 1935. Desde o início, além da agricultura, a empresa atua com produtos de irrigação para paisagismo, campos esportivos de golfe, tênis e futebol, mineração e no controle de poeira. Atualmente está presente em mais de 130 países ao redor do mundo – no Brasil chegou há 22 anos – e seu portfólio conta com mais de 4 mil produtos de irrigação e serviços.

Gerente regional (Sul, Sudeste e Nordeste) da Rain Bird no Brasil, José Eduardo Póvoa explica que a empresa nasceu desenvolvendo sistemas de aspersão. “Tudo que existe de aspersão agrícola para irrigação no mundo é derivado desta patente pioneira da Rain Bird. Depois de um breve desenvolvimento na agricultura, a empresa começou a levar esta solução para outras áreas. Atualmente, a irrigação agrícola deixou de ser o principal carro-chefe da empresa, cedendo espaço para o paisagismo com a irrigação de baixo volume. É aquela irrigação voltada para jardins com diversas plantas. Como cada espécie possui características próprias e uma necessidade de água diferente, desenvolvemos uma tecnologia que fornece a quantidade necessária e da maneira correta”, esclarece.

Foto: Daniel Zimmermann

Alinhada a essa forte atuação no segmento de paisagismo, um dos grandes compromissos da Rain Bird é com o uso inteligente da água. “É quase uma doutrina para a empresa atender ao paisagismo sem ter desperdício de água. Nossos produtos foram testados e desenvolvidos não apenas para trabalhar com água potável, mas com todas as fontes não potáveis, como reuso e captação da chuva. Com isso, oferecemos aos condomínios e residências uma solução de irrigação combinada a soluções alternativas para a economia de água. Isso significa uma melhoria para o sistema de gestão de condomínios, pois possibilita o reaproveitamento de água aplicado à irrigação”, ressalta.

Produtos com alta tecnologia

Fotos: Daniel Zimmermann

Dentre as tecnologias oferecidas para aplicação em condomínios, Póvoa destaca os tubos gotejadores enterrados. “É uma mangueira enterrada próximo ao sistema radicular das plantas e que libera por meio de gotas a quantidade necessária de água para a planta. Uma das vantagens dessa tecnologia é que se o profissional trabalha com água de reuso, que normalmente tem um certo odor, como ela é aplicada embaixo da terra esse mau cheiro não vai subir para a superfície, evitando possíveis desconfortos para o usuário”, explica. Quando a mangueira gotejadora é enterrada, o sistema radicular vai atrás de onde está saindo a água e pode entrar no orifício causando o entupimento. “Para evitar este problema criamos um sistema de escudo de cobre que protege a gotejadora da intrusão de raízes, o que dá uma garantia de uso de mais de 15 anos”, acrescenta.

Outra facilidade tecnológica disponibilizada pela Rain Bird é a automação do sistema de irrigação. “Não basta investir somente na irrigação. Implementar um sistema automatizado no jardim é mais vantajoso porque traz uma série de benefícios ao condomínio, inclusive financeiro. Com esta tecnologia o condomínio consegue economizar de 30% a 40% no consumo de água, pois será possível dosar a quantidade de água a ser aplicada no horário e nos dias corretos. É comum, por exemplo, o jardineiro ligar o sistema da rotatória do condomínio para escorrer água por 15 minutos, mas ele se distrai por alguma razão e deixa 10 ou 20 minutos a mais até lembrar de desligar. Por esta e outras razões, não ter a irrigação programada gera uma perda de água muito grande”, alega o gerente regional.

De acordo com Póvoa, o condomínio consegue dar um salto ainda maior em termos de economia quando combina a automação a sensores de chuva e de umidade do solo, que irão analisar a quantidade de chuva que caiu e se ainda há necessidade de água programada. Ele cita como exemplo um jardim que tem necessidade diária de 5mm de água por metro quadrado e em um determinado dia recebeu 3mm de chuva. O sensor vai pegar essa quantidade e enviar para o sistema de automação, que vai verificar o que estava programado. Considerando o que já choveu, ele vai reduzir automaticamente a quantidade de 5mm para 2mm de água. “Esses produtos aliados vão proporcionar uma economia de água de até 70% em relação à irrigação manual. Além de fazer uma boa gestão do uso da água, vai ter redução de gastos. Na verdade, o condomínio está deixando de ter gastos e fazendo um investimento que vai resultar em uma boa economia”, pondera.

Além disso, outra grande vantagem apontada por Póvoa é que o sistema de automação foi pensado para o consumidor final. “É um sistema simples, que trabalha com três funções importantes: quanto tem que irrigar (quantidade de água); quantas vezes por dia (frequência); e quantos dias da semana (periodicidade). O restante vai trabalhando com toda a tecnologia para que possa fazer a gestão automática e ir melhorando a performance do sistema de irrigação. Porém, se houver interesse, a Rain Bird oferece capacitação para aqueles que desejam aprender de forma mais rápida ou mesmo para quem pretende tirar maior proveito do sistema”, afirma.

Mas as facilidades não param por aí. Pensando na praticidade e agilidade, o sistema de automação da Rain Bird também oferece a possibilidade de acesso remoto (via tablet, smartphone ou computador). “Se o jardineiro está fora do condomínio e ocorre um problema de vazamento, por exemplo, ele recebe um alerta e consegue desligar o sistema à distância. E quando retornar ao local resolve o problema. Há várias funções no sistema que facilitam a vida do profissional, além de reduzir custos para o condomínio, como deslocamento de pessoal para dar manutenção ou pagamento de hora extras”, pontua.

Distribuição em Santa Catarina

Representante comercial da Rain Bird em Santa Catarina há 13 anos, a Loja da Irrigação funciona como um braço da empresa norte-americana no Estado. Com sede em Santo Amaro da Imperatriz, atua com a distribuição de produtos através de aproximadamente 35 parceiros de revenda, que são os responsáveis pela venda, instalação e manutenção dos sistemas de irrigação. O proprietário Devanir Mengarda conta que começou a trabalhar com irrigação em 1992, tornou-se uma revenda da Rain Bird em 1998 e, alguns anos depois, em 2007, passou a atuar como distribuidora. “Trabalhamos com todas as linhas, desde irrigação para condomínios, campos esportivos até a parte de desempoeiramento”, diz.

A Loja da Irrigação presta atendimento aos condomínios por meio das revendas, tanto na implantação de projetos para condomínios em fase de construção, como na parte da manutenção se o empreendimento possui um sistema implantado. “O condomínio já montado recebe manutenção periódica, a cada seis meses a um ano, ou quando surge um problema pontual. E nos condomínios que estão sendo instalados, oferecemos desde o projeto de irrigação, os produtos necessários até a implantação dos sistemas”, salienta.

Camilo Mengarda / Foto: Daniel Zimmermann

Para Mengarda, trabalhar com a maior fabricante de produtos de irrigação do mundo é motivo de orgulho para a loja e de satisfação garantida do cliente. “A irrigação é uma prática milenar, mas a Rain Bird aperfeiçoou o sistema de rega de plantas. A planta que recebe a água sistematicamente na dose necessária e na regularidade certa se desenvolve melhor e se torna mais saudável, além disso traz uma grande economia de água. Quando a pessoa está regando manualmente não consegue ter a mesma precisão. O controlador faz o contrário, se disser que tem que regar por 1 minuto vai ser colocado a quantidade exata. Esta qualidade e eficiência dos produtos é comprovada no dia a dia pelos clientes e transmite muita confiança e credibilidade”, aponta.

Ramon Borges Rodrigues / Foto: Daniel Zimmermann

A eficiência, na opinião do distribuidor, é reflexo das novas tecnologias aplicadas aos produtos e também da preocupação com a sustentabilidade. “A Rain Bird renova a cada ano os produtos e cada vez eles estão mais eficientes. Tivemos recentemente avanço em bocais rotativos, por exemplo, que além de distribuir melhor a água, suportam melhor o vento. Quando se trabalha com empreendimentos à beira-mar, onde os ventos são frequentes, há uma grande preocupação em ter jatos d’água que não sofrem a interferência do vento na distribuição. Além disso, a maioria das soluções da empresa permitem o uso de água não potável, contribuindo assim com o meio ambiente e com a redução de custos para o cliente”, valoriza.

Maior da América Latina em condomínios, jardim
suspenso do Brava Home Resort utiliza sistema Rain Bird

Foto: Daniel Zimmermann

Um dos importantes clientes da Rain Bird em Santa Catarina, o condomínio Brava Home Resort, situado na Praia Brava, em Itajaí, ostenta um dos maiores jardins suspensos em condomínios da América Latina. Dividido em cinco grupos de plantas (palmeiras, árvores, arbustivas, forrações e trepadeiras), o jardim soma um total de 117 espécies e uma quantidade de 60,5 mil plantas e mais 28,6 mil metros quadrados de forrações. A grandiosidade do projeto, assinado pela paisagista Ana Holzer, se equipara à complexidade de manter este jardim bonito e saudável.

Carlos Roberto Borba / Foto: Daniel Zimmermann

Gerente predial do condomínio de 14 torres e 324 apartamentos, Carlos Roberto Borba conta que desde a implantação do condomínio, há oito anos, o projeto paisagístico conta com o sistema de irrigação da Rain Bird. “É um jardim espetacular, que foi se tornando mais belo porque foi crescendo e as plantas se desenvolvendo com o passar do tempo. Como é construído sob uma laje e tem uma variedade gigantesca de espécies, requer um cuidado todo especial. E, claro, contar com um dos melhores e mais tecnológicos sistemas de irrigação do mundo faz total diferença para a manutenção do jardim”, assegura.

No Brava Home Resort, o sistema de irrigação é dividido em 148 pequenos setores e a água é controlada na medida certa. “Tudo é automatizado e cada setor irriga conforme o que foi programado, em menor ou maior quantidade, de acordo com o dimensionamento planejado pelo engenheiro agrônomo. O sistema distribui a água de forma inteligente para economizar e proporcionar a quantidade ideal para cada espécie vegetal. A operação é totalmente sustentável, não é utilizado água tratada de rua. A água da irrigação é 100% de origem pluvial e do subsolo, ou vem do céu através da chuva ou do lençol freático, e depois também é devolvida para o lençol freático”, frisa.

Foto: Daniel Zimmermann

Para manter tudo funcionando perfeitamente no jardim suspenso do Brava Home Resort, o gerente conta com uma equipe de oito funcionários que trabalham diariamente. “Há algum tempo percebemos que um auxiliar de hidráulica, o Felipe dos Santos Machado, que era acionado algumas vezes para manutenções no jardim, tinha muita habilidade para o serviço. Decidimos então capacitá-lo e ele foi fazer dois cursos da Rain Bird, um em São Paulo e outro na Bahia. A partir daí, o condomínio não precisou mais comprar peças com terceiros, temos o suporte da Loja da Irrigação e de parceiros que a própria empresa indica. Agora somos autossuficientes pois o nosso funcionário se credenciou para cuidar da irrigação e passou a controlar todo o sistema”, comemora.

Felipe dos Santos Machado / Daniel Zimmermann

Este publieditorial é patrocinado pela Loja da Irrigação

Compartilhe

Leia também