Com linha específica para pintura predial, Anjo Tintas aposta em inovação e sustentabilidade

Compartilhe

Marca catarinense que vendeu mais de 60 milhões de litros de tintas, solventes e complementos em 2019 se destaca no mercado com produtos tecnológicos e sustentáveis, além de ações voltadas para a área social

Foto Divulgação

Empresa fundada em 1986, em Criciúma, a Anjo Tintas se consolidou no mercado ao apresentar produtos duráveis, com foco na inovação e sustentabilidade. A marca pode ser encontrada em todos os estados brasileiros em mais de 6.250 lojas de tintas e de materiais de construção, além de lojas e espaços conceito que vendem exclusivamente os produtos Anjo. O portfólio da fabricante de tintas inclui as linhas Automotiva; Imobiliária; AnjoPrint, tinta para impressão em rótulos plásticos; e AnjoTech, voltada para o segmento industrial. Em 2019, a marca vendeu mais de 60 milhões de litros de produtos, sendo que a linha Imobiliária representa 25% desse volume. 

Filipe R Colombo – CEO Anjo Tintas / Foto: Divulgação

Filipe Colombo, CEO da empresa, destaca que a linha de tintas produzida para a construção civil tem uma grande importância para a Anjo, que está sempre investindo em inovações tecnológicas e alinhada com as principais tendências do mercado nacional e internacional. “Nossa linha Imobiliária é muito completa, inclui desde produtos para a preparação da pintura até o acabamento final. Nosso posicionamento é o de desenvolver produtos de alta qualidade, seguindo um conceito de luxo acessível. É um produto tão bom quanto os líderes de mercado, mas com um custo menor. Inclusive temos uma importante parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no desenvolvimento de produtos com alta tecnologia para atender especificamente a este mercado”, pontua.

Foto: Divulgação

A Anjo conta com a colaboração de especialistas da UFSC que trabalham em tempo integral para a empresa em busca de inovações, com resultados já aplicados na criação de produtos. “Esta conexão da empresa com a universidade nos possibilita trazer as principais novidades da área, pois estes profissionais viajam o mundo para buscar o pioneirismo no setor. E já colhemos importantes frutos desta parceria, como o desenvolvimento da Tinta Emborrachada, um produto de altíssima tecnologia, e mais recentemente a Tinta de Demarcação Viária, lançada em julho deste ano”, aponta.

Inovação e sustentabilidade

Líder de mercado neste segmento e um dos destaques no portfólio da Anjo, a Tinta Emborrachada é a única do Brasil com garantia vitalícia. É indicada para a pintura de paredes externas, internas e telhados. Quando aplicada em telhados, reduz o calor e funciona como isolante acústico. O uso da tinta garante a redução de até 3°C na temperatura e de ruídos no ambiente em até 5 decibéis. “Uma casa com telhado pintada externamente com a tinta emborrachada pode economizar até 32% do consumo de energia com ar condicionado”, afirma Colombo. E como se trata de uma tinta elástica, ao ser aplicada em paredes externas, ela bloqueia infiltrações e evita microfissuras.

A empresa também investe forte na sustentabilidade por meio do desenvolvimento de produtos com o selo Ecoeficiente. Esses produtos são desenvolvidos com matéria-prima de fontes renováveis, menor quantidade de solventes na fórmula e menor emissão de poluentes na atmosfera. Os diluentes Thinners Ecoeficientes, por exemplo, não possuem substâncias tóxicas como tolueno, xileno, benzeno e outros solventes aromáticos. Cerca de 40% das matérias-primas são de fontes renováveis. Um estudo da UFSC apontou que o Thinner Ecoeficiente 2750, da Anjo Tintas, apresenta até 54,4% de redução de poluentes na atmosfera em relação ao Thinner 2750 convencional.

Preocupação social

Sempre envolvida com a comunidade e preocupada com questões sociais, a Anjo Tintas também se reinventou com a chegada da pandemia do coronavírus. Com o propósito de ajudar hospitais públicos e instituições, a empresa passou a utilizar matérias-primas disponíveis na fábrica para produzir álcool em gel e líquido, produto de primeira necessidade no combate ao Covid-19. Até o momento, a empresa já investiu mais de R$ 100 mil reais em doações de álcool líquido 70% e álcool em gel para hospitais públicos e diversas instituições brasileiras como a CUFA (Central Única das Favelas), o Instituto Gabriel Medina e o G10 Favelas.

De acordo com Colombo, devido à alta demanda de pedidos para que os produtos fossem disponibilizados para compra, a Anjo começou a produzir álcool em gel, álcool líquido e álcool em aerossol 70% em larga escala para vendas. “Acabamos descobrindo um nicho de mercado que não estava no nosso mapeamento estratégico e decidimos colocar estes novos produtos no nosso portfólio. A expansão acabou vindo de uma necessidade do mercado” explica o CEO da Anjo Tintas.

Anjos do Futsal / Foto: Divulgação

Essa responsabilidade social também se reflete em diversos projetos sociais desenvolvidos pela empresa. O principal deles é o Anjos do Futsal, que ensina técnicas do futebol de salão para crianças e adolescentes com o objetivo de afastá-las da violência e das drogas. Criado em 2001, o projeto já acolheu mais de 12 mil crianças, e somente em 2020, foram mais de 1,2 mil garotos beneficiados.

“O Anjos do Futsal surgiu para ajudar um colaborador da empresa que tinha um filho envolvido com uma gangue, mas foi ganhando corpo e hoje soma cerca de 26 núcleos distribuídos em mais de 21 cidades da região do Sul do Estado. Ao longo destes anos, muitos deles se tornaram jogadores profissionais no Brasil e em outros países. Mas o que realmente nos enche de orgulho é saber que contribuímos para a formação de 12 mil crianças de bem para a nossa sociedade, que transformamos a vida deles com o futebol de salão”

Produtos e soluções da Anjo Tintas para evitar e corrigir problemas relacionados à pintura predial

Há uma série de patologias de superfície recorrentes na pintura de edifícios, tanto da fachada quanto das paredes internas. Entre as mais comuns estão infiltrações, eflorescência, descascamento e enrugamento. O aparecimento destes problemas está relacionado a diversos fatores. A boa notícia é que existem produtos e soluções disponíveis no mercado que podem prevenir alguns deles, assim como corrigi-los quando a pintura já foi concluída.

Ramon Medeiros Silva / Foto: Divulgação

Aplicador técnico da Anjo Tintas, Ramon Medeiros Silva explica que o sucesso da pintura predial não se limita ao uso de uma boa tinta. “O processo de pintura depende de um tripé: a preparação da superfície, a qualidade da tinta e a qualificação do profissional que aplicará o produto. Você pode ter a melhor tinta do mundo, mas se não fizer a correta preparação da superfície irão ocorrer problemas na pintura. Assim como pode dar problema se fizer uma boa preparação, usar boa tinta e a mão de obra for feita por um profissional sem treinamento, que não sabe fazer a manipulação correta dos produtos”, garante.

Um destes problemas ocasionados na pintura é a eflorescência, manchas esbranquiçadas que surgem quando a tinta é aplicada sobre o reboco úmido. “Quando a pintura fica muito tempo exposta a intempéries ou existem microfissuras na parede, ocorre a absorção da umidade e, consequentemente, com a evaporação provocada pelo o sol batendo na superfície, essa umidade acaba carregando esses sais e causando manchas em determinadas regiões”, diz. Para resolver a eflorescência, o técnico sugere o uso do fundo preparador de paredes, que é um selante, um aglutinador de partículas que impede que a migração dos sais e do cal atravesse a película da tinta.

Para evitar o aparecimento de fissuras a recomendação é usar a Tinta Emborrachada. “A tecnologia desse produto vem da resina elastomérica, ou seja, é uma tinta elástica. Essa tinta tem memória, a dilatação e a retração acompanham pequenos movimentos de substratos onde tem a fissura sem romper a película da tinta e, assim, não entra umidade e não provoca a eflorescência. Em Santa Catarina, principalmente no Litoral, pela alta presença da umidade, a mistura do cimento acaba demorando para secar e, por isso, há maior propensão para ocorrer essa patologia na superfície”, sinaliza.

Mas Silva alerta que é preciso estar atento ao tipo de fissura. “Existe uma diferença entre trinca, fissura e microfissura. Até 0,5 milímetros é uma trinca, menor que essa medida até 0,05mm é fissura e abaixo disso é uma microfissura”, ensina. Quando o problema é uma fissura ou microfissura, o sistema emborrachado consegue corrigir essa imperfeição. No caso de trinca tem que ser feita a correção com produtos específicos. “Nosso produto para essa situação é a Massa Tapa-furo, que será aplicada para nivelar a superfície e tampar a trinca. Depois de aplicar a massa, é feita a preparação da superfície e, posteriormente, o processo de pintura”, esclarece.

Foto Divulgação

Outro problema bem comum, segundo Silva, é uma questão propriamente da tinta, que é o manchamento por surfactantes, manchas causadas por pingos de chuva. “Esses surfactantes são aditivos incorporados à tinta para melhor aplicação, presente na composição de todas as marcas, desde a econômica até a premium. Em regiões litorâneas também é recorrente esse tipo de problema. Normalmente, as manchas ocorrem no início do processo de aplicação da tinta, nos primeiros 30 dias, e são mais comuns em paredes em que foram usadas cores intensas, que deixam as manchas mais aparentes”, destaca. A solução para corrigir o problema é, no momento em que forem detectadas as manchas, deve ser realizada uma cortina de água, que significa usar uma mangueira para molhar a parede inteira até criar uma espuma onde cai a água.

Já o descascamento da tinta geralmente é proveniente de duas situações: erro na preparação da superfície e alta umidade.

“Se na preparação da superfície, quando for feito o lixamento da parede, o pintor não fizer a limpeza adequada e não aplicar o fundo preparador de paredes, é bem possível que a tinta venha a descascar. Podemos dizer que 50% de problemas futuros de descascamento podem ser prevenidos com o uso do fundo preparador. Já o problema da umidade tem duas fontes, uma é a umidade ascendente, que vem do solo, a outra é a descendente que é oriunda da chuva externa. Neste caso, a solução é utilizar o impermeabilizante emborrachado”

Ramon Medeiros Silva

A pintura predial ainda está sujeita ao enrugamento da tinta, causada pela pintura com excesso de camadas e, normalmente, ao uso de esmaltes sintéticos. “Quando não se respeitam os intervalos de pintura, o tempo certo entre uma demão e outra, acontece o enrugamento. Só ocorre a secagem superficial, não atingindo a camada mais abaixo e a tinta começa a enrugar. Para evitar esta patologia é fundamental que o pintor respeite o boletim técnico da pintura. Por exemplo, na Anjo temos dois esmaltes sintéticos, o Standard Tomplus, em que a secagem entre uma demão e outra é de 8 horas, e o esmalte premium da linha Fluence, cujo intervalo é de 45 minutos”, ressalta.

Este publieditorial é patrocinado pela Anjo Tintas

Compartilhe

Leia também